A crescente preocupação pelo consumo de açúcar, as calorias que ingerimos e o seu impacto na saúde, levou a que a indústria alimentar procurasse alternativas capazes de conferir o sabor doce aos alimentos, mas com uma menor adição de açúcar e consequentemente menos calorias, o que resultou no aparecimento dos adoçantes.

A grande maioria dos adoçantes disponíveis no mercado oferecem o sabor doce sem as calorias associadas ao açúcar. Ou seja, como são necessárias pequenas quantidades para induzir o sabor doce, a sua contribuição energética (calorias) é muitas vezes insignificante em comparação com o açúcar.

ADOÇANTES,

Os adoçantes são todas as substâncias capazes de conceder um sabor doce aos alimentos, tal como o açúcar, mas administrado em menores quantidades, uma vez que adoça mais que a sacarose (açúcar de mesa). Existe uma grande variedade de adoçantes, incluindo uma série de produtos, artificiais e naturais, capazes de cumprir esta função.

Adoçantes artificiais

Os adoçantes artificias, ou também conhecidos como edulcorantes, são produzidos através de processos industriais específicos. Estes apresentam uma capacidade de adoçar entre 100 a 20 000 vezes mais que o açúcar branco e não possuem calorias, sendo a sua única função adoçar os alimentos.

Destes os mais utilizados são o aspartame, o acessulfame k, o advantame, a sacarina, o neotame e a sucralose.

O consumo destes adoçantes é considerado seguro, dentro de quantidades bem definidas e sempre incluídos numa alimentação considerada saudável, ou seja, completa, equilibrada e variada.

 

No entanto, tem surgindo algumas questões quantos aos efeitos da toma de adoçantes artificiais na saúde. Estudos referem que estas substâncias artificiais “enganam” o organismo humano, ao fazê-lo sentir o sabor doce sem terem açúcar incluído. Consequentemente aumenta o apetite e particularmente a vontade de ingerir açúcar “verdadeiro”, podendo aumentar o consumo de alimentos ricos em adoçantes, tendo efeitos negativos no ganho de peso.

Adoçantes naturais

Os adoçantes naturais são extraídos de fontes naturais, como plantas e apresentam vantagens em comparação com os artificiais pois conseguem, para além de adoçar os alimentos, conferir-lhes cor, consistência, aroma e textura. Normalmente apresentam as mesmas calorias que o açúcar, e são utilizados em quantidades superiores quando comparados com os adoçantes artificiais.

Dentro dos adoçantes naturais os mais utilizados são a frutose, o sorbitol, o manitol, o xilitol e a stevia.

STEVIA

Das várias alternativas ao açúcar, nomeadamente na categoria dos adoçantes, a Stevia é uma das opções mais saudáveis, dado ser um adoçante natural, que têm um sabor até 300 vezes mais doce que o açúcar e que não fornecem calorias.

 

Esta pode ser adquirida na forma líquida, em pó ou pastilhas e podes encontra-la em certos alimentos e bebidas, como é o caso de algumas gelatinas com baixas calorias adoçadas apenas com Stevia.

 

Vantagem da Stevia em relação a outros açúcares ou adoçantes

A Stevia é um adoçante natural, com uma contribuição energética insignificante. Devido ao seu grande poder de adoçar são necessárias pequenas quantidades para atingir o nível de doçura desejado. Embora não substitua o açúcar naturalmente presente nos alimentos, é um excelente substituto do açúcar de adição.

Para além de poder ser uma ajuda eficaz no controlo do peso, a Stevia não aumenta os níveis de glicose no sangue e, por isso, é adequada para os diabéticos.

 

AÇÚCAR VS ADOÇANTE, QUAL DEVO OPTAR?

Para responder a esta questão recomendamos que faças uma leitura da lista de ingredientes de cada alimento que consomes e que tenhas em atenção se existe a adição de açúcares ou de adoçantes (artificiais ou naturais). Deves optar por alimentos que contem uma menor quantidade de açúcar adicionado e caso apresentem adoçantes deves optar pelos que apresentam adoçantes naturais.

 

A Stevia, pode ser um bom substituto para o teu café ou chá diários, terás apenas que te adaptares ao seu gosto característico. Sendo a melhor solução, habituares-te a não adicionar açúcar, ingerindo apenas os que estão naturalmente presentes nos alimentos.

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *